Biodiversidade
Biodiversidade

Conservação de habitats e áreas de rede natura ou semelhantes

 

É sabido que a agricultura pode desempenhar um papel fulcral na manutenção e promoção da biodiversidade havendo igualmente potencial para beneficiar da existência dessa biodiversidade.

 

A enorme diversidade das explorações agrícolas, e em particular as vinícolas, tanto no que respeita ao meio físico em que se inserem, como ao tipo de atividades nelas praticadas, exigem a adaptação de iniciativas de conservação e promoção da biodiversidade à cultura e às especificidades de cada zona. Mesmo em situações de agricultura mais intensiva é possível introduzir melhorias nas práticas agrícolas que possam contribuir para minimizar os impactos negativos que a simplificação e intensificação da paisagem rural possa ter na biodiversidade.

 

 

É neste quadro que em Maio de 1992, nasceu a Rede Natura 2000, uma rede ecológica para o espaço comunitário da União Europeia, e o seu principal instrumento para a conservação da natureza. A sua finalidade é assegurar a conservação a longo prazo das espécies e habitats mais ameaçados na Europa, contribuindo para travar a perda de biodiversidade. Isso é atingido através da garantia de conservação das espécies de aves e os seus habitats, e da conservação dos habitats naturais e habitats de espécies da flora e da fauna selvagens, considerados ameaçados no espaço da União Europeia. De igual modo, ao longo dos últimos anos têm vindo a ser promovidas outro género de iniciativas e projetos com o objetivo de promoção da preservação da biodiversidade por parte das empresas tais como o “Business & odiversity” e o “Countdown 2010”.

 

Alinhado com a estratégia de conservação de habitats, áreas da rede Natura e outras iniciativas de cariz nacional e internacional, o PSVA destaca entre outras práticas:

A criação de estruturas de apoio à fauna

  • Colocação de abrigos para morcegos
  • Construção ou adaptação de charcas e albufeiras
  • Construção ou manutenção de abrigos para mamíferos, aves, répteis, anfíbios, etc.
  • Instalação de faixas de culturas para insetos e aves
 
     

Proteção de determinadas zonas na vinha

  • Manutenção de vegetação natural nas bordaduras e áreas incultas
  • Promoção do enrelvamento das entrelinhas
  • Manutenção de bosquetes, de sebes e de galerias ripícolas
  • Proteção de plantas de regeneração natural no montado
  • Proteção de pontos de água
  • Ações de minimização da erosão