Biodiversidade
Biodiversidade

Serviços dos ecossistemas

 

Às vezes chamados de "serviços ambientais" ou "serviços ecológicos" são os benefícios que as pessoas e as economias obtêm dos ecossistemas. Exemplos que incluem água doce, madeira e pesca, recursos genéticos, regulação climática, proteção contra riscos naturais, pragas e controlo de erosão e ainda recreação. Muitas vezes os sistemas agrícolas e o meio ambiente apresentam uma profunda associação que é simultaneamente simbiótica e dinâmica.

Observando a paisagem como um todo, com as suas vinhas, adegas, mosaicos de áreas biológicas, terrenos agrícolas, terrenos rurais, zonas urbanas, periurbanas e suburbanas, torna-se evidente que os processos ecológicos estão em curso a todos os níveis. Muitos destes processos ecológicos funcionam ao nível de uma bacia hidrográfica ou ao nível regional, numa escala superior à dimensão da vinha e da propriedade agrícola individual.

 

 

Falar em serviços e bens essenciais dos ecossistemas é falar dos bens que os produtores agrícolas, os enólogos, os silvicultores, entre outros, produzem:

  • Comida, vinho, azeite, fibras, madeira, biomassa e ingredientes industriais como óleos essenciais, etc.

 

Por outro lado, exemplos de serviços do ecossistema, incluem:                       

  • A limpeza da água e do ar, o armazenamento e reciclagem de nutrientes, a polinização de culturas e vegetação natural, a constituição e manutenção dos solos, a desintoxicação e decomposição de resíduos, e a componente estética, como a própria beleza natural

 

A abordagem de gestão do ecossistema reconhece que as pessoas são parte integrante e têm um impacte significativo sobre as estruturas e os processos dos mesmos. Reconhece igualmente que as pessoas dependem e interagem com os sistemas ecológicos, económicos e sociais em que vivem. Os principais objetivos de uma abordagem de gestão do ecossistema são:

  • Manter a integridade do ecossistema;
  • Sustentar a biodiversidade à escala regional;
  • Incorporar os valores das comunidades presentes na conceção e implementação de uma estratégia de sustentabilidade.

Um caso de estudo sobre a perda de biodiversidade e as cadeias de abastecimento agrícola

A produção agrícola depende da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas. As dependências de serviços dos ecossistemas incluem:

  • Capacidade de retenção de água localmente,
  • Reciclagem de nutrientes do solo por microrganismos,
  • Estabilidade climática local e global,
  • Variabilidade genética em culturas,
  • Serviços de polinização e controlo de pragas fornecidos por insetos e outros animais.

 

No entanto, a agricultura necessita de ecossistemas altamente modificados e consequentemente simplificados, ainda que seja constante e dinâmica a relação entre a biodiversidade e os ecossistemas naturais com a produção agrícola. Estas interação é complexa e está sujeita a grande instabilidade. 

 

A figura abaixo ilustra alguns dos custos económicos reais suportados como resultado desta instabilidade.

 

Estes custos económicos afetam toda a cadeia de valor, seja:

  • Produtores - através de rendimentos reduzidos;
  • Empresas de processamento - com interrupções na oferta e aumento dos preços de custo na produção da matéria-prima;
  • Retalhistas - no investimento crescente na avaliação de riscos de biodiversidade relacionados com fornecedores e produtos, dedicando mais recursos de forma a dar resposta a campanhas de, por exemplo, ONGAs que têm como alvo gamas de produtos específicos.

 

E na vinha? Que serviços podemos obter?

Serviços dos ecossistemas na vinha:

"A biodiversidade sustenta os chamados serviços dos ecossistemas. As abelhas não podem polinizar, nem as árvores podem armazenar carbono, se todas morrerem... os sistemas diversificados são melhores para capturar carbono, armazenar água e preservar os recursos. O quão diverso deve ser um ecossistema para fornecer os bens e serviços necessários ao homem é uma questão digna de debate – debate este facilitado pelo facto de que muitas espécies podem ter utilizações que o homem ainda não encontrou". The Economist, 2008

 

Gerir uma vinha significa gerir um ecossistema, no qual, a videira é a espécie dominante. Mas este sistema não precisa de ser uma monocultura, quando mais diversificado mais Serviços dos Ecossistemas fornecerá e com maior qualidade.

 

Figura 4 – Categorias nas quais se dividem os serviços dos ecossistemas e alguns exemplos pertinentes no contexto da vinha 

 

Exemplos de Serviços dos Ecossistemas da vinha correspondem a:

  • Controlo de pragas e doenças;
  • Produção de culturas;
  • Manutenção de habitats;
  • Ciclo hidrológico;
  • Filtração/sequestro de água, carbono, etc.;
  • Formação de solo;
  • Turismo e recreação;
  • Cultura, sentido de pertença.

 

A estratégia de gestão de criar enrelvamentos nas entrelinhas é uma das formas de transformar o ecossistema vinha num ecossistema diverso e multifuncional, rico em Serviços dos Ecossistemas. No esquema abaixo é apresentado o exemplo do enrelvamento e os seus efeitos benéficos na vinha.

 

Figura 5 – Esquema relativo à importância do enrelvamento na vinha (para mais informação sobre o enrelvamento, ver “Vantagens do enrelvamento”)

 

Alguns serviços dos ecossistemas são mais evidentes do que outros. Aqueles que consumimos diretamente, como alimentos e matérias-primas, são valorizados economicamente nos mercados. Por outro lado, os serviços, como a polinização e o ciclo de nutrientes, apresentam maiores dificuldades na sua quantificação, embora desempenhem papéis essenciais de suporte à vida. Esta falta ou dificuldade de valoração ameaça a prestação a longo prazo de tais serviços. A nossa capacidade de beneficiar dos serviços dos ecossistemas no futuro depende claramente no seu entendimento, valorização, valoração e sua correta gestão.